8 de agosto de 2009

Amo-te Sempre!..



Amo-te Sempre

Amo-te sempre
com um pouco de barco e de vento
com uma humildade de mar à tua volta
dentro do meu corpo; com o desespero
de ser tempo;

com um pouco de sol e uma fonte
adormecida na ternura.

Merecer este minuto de palavras habitando
o que há sem fim no teu retrato;
Este mesmo minuto em que chegam e partem navios
- nesta mesma cidade deste
minuto, desta língua, deste
romance diário dos teus olhos -

(e chegarão com armas? refugiados? trigo?
partirão com noivas? missionários? guerras? discursos?)

Merecer a densa beleza do teu corpo
que tem água e ternura, células, penumbra,
que dormiu no berço, dormiu na memória,
que teve soluços, febre, e absurdos desejos
maiores que os braços,

merecer os dias subindo das florestas - e vêm
banhar-se, lentos, nos teus olhos...

Merecer a Igreja, o ajoelhar das palavras,
entre estes cinemas visitando, em duas horas, a alma,
estes eléctricos parando atrás do infinito
para subirem os namorados, a viúva, o cobrador da luz, a
costureira
entre estes homens que ganham dinheiro, sangue frio, ou vícios,
ou medalhas
e estes telefones roubando a lealdade dos olhos...

Teus cabelos cheirarão ainda a infância
e a vento, depois de passarem por esta fome pública,
estes olhos com regras de trânsito, estes dias sujos,
estes lábios que já não ensinam o pomar
ou a fonte, nem têm gosto de leite e de aurora,
depois destes olhos cheios da pergunta de estarem vivos
em vão?

Merecer honradamente este poema, todos os poemas,
como quem parte, entre os dedos a brancura
quente de um pão!


Vítor Matos e Sá

7 comentários:

angela disse...

Lindo poema.
Abraços

♥ ♥ Rabiscando disse...

O amor sempre vai estar presente em todas as situações e algumas lembranças vêem, aportam, depois ao sabor do vento vão embora como um barco a deriva.

Ótimo fds prá vc!

beijos!

♥ ♥

Princesa disse...

Boa noite meu amigo
Por aqui o calor continua a apertar e agora a noite se vê uma trovoada lá longe com este calor e com tudo seco como está se torna perigoso por causa dos fogos, mas esperemos que nada aconteça.

Amo-te sempre!... lindo poema ao amor, é bom quando podemos dizer estas palavras, a vida sem amor não tem valor.
Amor pode ser intrepetado de todas as maneiras, o amor é infinito, como é bom amar.

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui...além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar!Amar!E não amar ninguém!
Recordar?Esquecer?Indiferente!...
Prender ou desprender?É mal?É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!
Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!
E se um dia hei-de ser pó,cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca

Tenha uma linda noite e amanhã um bom domingo
um beijo

AFRICA EM POESIA disse...

Aqui ...Ali...E acolá...

Obrigada pela visita ...
Foi bom vê-lo no meu canto...A poesia deve ser partilhada e ela deve ter sempre uma mensagem para quem a lê.
Eu penso assim...
vou voltar sempre e Africa é sempre um elo de ligação...

beijos




MAR



Saio de casa, tentando levar-te…
A ti sentimento, a ti loucura…
E lá longe, olhando o mar…
Mar infinito, penso e vejo…
A loucura de te querer.
E não te poder querer…

E lentamente…
Ponho-te na minha mão aberta
Sopro-te e mando-te embora…
E deito-te ao mar...
Mar que é louco, e que é mau…
E te envolve nas ondas revoltas…
E vou para casa sem pensar em nada…
Vou mais leve. Mas mais pesada…

E quando chego, de ombros caídos…
Olho ao meu redor, e encontro-te aqui…
Porque tu voltaste outra vez…
E nunca me deixarás libertar….

Lili Laranjo

Helinha disse...

Que lindo jeito de contar a trajetória de um amor... que se vai vivendo em todos os momentos...

Adorei sua visita em meu blog e espero vê-lo sempre por lá...

Também virei sempre aqui visitar o seu!!

Tenha um lindo dia também!!

^^

Beijos!!

neide disse...

O amor, tema gostoso e nunca saí de moda.
Belo post.

Bom final de semana.

Bjss amigo.

MGHORTA disse...

Parabéns,

seu poema dá largas às pétalas de rosa espalhadas em leitos sem pudor...

Maravilhosamente bem destribuido, e com leitura simples, gostava que meu espaço assim tão directo.

Sucesso para seu recanto de poemas.

mghorta