15 de setembro de 2009

Frio da Solidão!..


Frio da Solidão

Intensa, fatal, imensa...

Cruel solidão condensa

Sensações - quase congela.

Fecha portais do prazer,

Mas não me faz esquecer

Uma paixão como aquela...


Paixão banhada em luar,

Quando, sós, à beira-mar,

Fazíamos amor intenso...

Um festival de carícias,

Com direito a tais delícias,

Que arrepiam, quando penso...


Rolávamos nus sobre a areia

E no céu a lua cheia,

O nosso amor aplaudia...

Porém tal cumplicidade,

Pra minha infelicidade,

Pouco a pouco se esvaía...


Hoje, imergindo em saudade,

Vou curtindo esta vontade

De novamente encontrar-te,

Pois o frio da solidão

Não congela esta emoção:

Jamais deixei de amar-te...


Oriza Martins

2 comentários:

angela disse...

Que bom ter tido um amor assim, melhor seria se ainda fosse, mas não sendo ao menos lembra e arrepia.
beijos

Princesa disse...

Boa noite meu amigo
agora já com uma brisa fresca mas bem saborosa ca estamos a nos preparar para o duro inverno, que já espreita e a ser duro como o verão estamos mal aqui na minha zona é demais mas a sua não se fica atrás.

frio da solidão por vezes a solidão é bem fria mas temos que a soportar, bonito poema este.


"Os dias frios,
cinzas e solitários
não duram para sempre...
Os pássaros sabem
disso, e é por isso
que eles cantam.
Não desista, não
admita sentimentos
de fracasso; dúvidas
vão e vêm, assim
como as estações do ano...
Quando tudo o
que é bom parece perdido,
lembre-se que a
vida é um círculo, e a
esperança mora no horizonte."

tena uma boa noite e amanhã um bom dia
beijinhos