25 de setembro de 2009

Frágil Volúpia!..


Frágil Volúpia

Sou frágil, tem cuidado comigo, tem cuidado!
Ao me tocares, seja leve teu toque, com amor.
Como tocasses fina porcelana, tem cuidado...
Eu sou um mimo de beleza, de fulgor...

As minhas mãos suaves, qual pétalas de rosa,
Toma entre as tuas com carinho inigualável...
Beija de leve a minha boca tão formosa,
Sejas aquele namorado doce, admirável!

Eu hoje quero assim, de manso, bem gostoso,
Que tu me abraces, qual um anjo venturoso.
Que seja platónico e etéreo, este instante,

Em que te furtas, até, de me fazer amante...
Mas sejam apenas minutos de fragilidade,
A antecederem muitas horas de voracidade...

Mírian Warttusch

6 comentários:

angela disse...

Tudo muito suave...por alguns momentos...
delicia de poema.
beijos

neide disse...

Adorei!! Belo!

Tem que ser suave... um toque celestial antecedendo muitas horas de voracidade...

Lindo final de semana pra você.

Bjsss

Graça Pereira disse...

Acho ternurento este poema: Ama-me mas devagar...porque sou frágil! Lindo. Um fds repleto deamor. Um bj Graça

AFRICA EM POESIA disse...

aqui Ali- Acolá
obrigada pela visita
bebo o sumo de maracujá e deixo uma "cestinha "especial...
um beijo



CESTINHA


Cestinha da fruta…
De metal e asas largas…
Cestinha linda….
Que tão bem cheiras.
E o teu aroma…
Espalha-se pela casa toda…

Porque aqui nesta cestinha…
Eu encontrei…
O meu lindo abacate…
Verde e elegante…
A dona manga bem madurinha
Fica toda vaidosa…
Depois, dois lindos maracujás…
Muito roxos…fazem companhia…
E tu Ginguenga
Vermelha e oval…
És apenas o contraste…

E a fruteira
Tem também…
Duas lindas goiabas…
Doces…
E com um cheirinho.
Que se junta aos outros…
E se estende pela sala…

E tu… Fruteira…
Continuas a deliciar…



Lili Laranjo

Princesa disse...

Boa noite meu amigo
outra vez com muito calor neste momento por aqui as temperaturas ainda são altas não entendo este tempo este ano nos mata aos poucos, mas temos que nos acostumar mas está dificl planeta está mesmo a aquecer este ano já se nota e muito.

Este seu poema para hoje é maravilhoso divino adorei amigo e a imagem igualmente boa escolha

A cada dia que vivo, mais me convenço de que
o desperdício da vida está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca
e que, esquivando-nos do sofrimento,
perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional.”

(Carlos Drummond de Andrade)

Um bom fim de semana lhe desejo mas um pouco mais fresco parece que sopra o calor cá para cima rsrsr

Beijinhos

Parapeito disse...

Gostei destes toques suaves*
Brisas mornas para ti****