21 de julho de 2009

Saudade!..


Saudade!..

Quando colhi o beijo longo e doce,
O seu primeiro beijo de menina,
A minha alma, num êxtase, ajoelhou-se,
Transfigurou-se, envolta em luz divina!

Tão Linda! A mão, como se um lírio fosse,
Após o adeus, de longe, alva e franzina,
Desfolhava-se em beijos... E acabou-se
Tudo entre prantos! Era minha sina.

Na luminosa quadra dos amores,
De seio em seio andei colhendo flores,
Mas ninguém como aquela foi querida!

Do fundo da saudade ela me acena!
O amor por essa que era tão pequena
Foi o maior amor de toda a minha vida!

Gustavo Teixeira

5 comentários:

Bela disse...

A saudade é sempre um sentimento profundo onde exprime a dor da ausência e a do sabor agridoce da memória do que se viveu.

Um beijo

Carmem disse...

Quando a saudade está presente em nosso ser é sinal que ficaram boas recordações...
essas recordações são saudade!

Lindo poema!

Beijo e obrigada pelo carinho

Angela Ladeiro disse...

...porque também odeio os falsos, passei para o cumprimentar. Virei depois com mais tempo.

Katy disse...

Os amores mais simples são os mais marcantes...cujas memórias permanecem para sempre, muito vívidas...
Beijinhos.

Princesa disse...

Meu bom amigo
hoje na calada da noite aqui venho muito rápido
o calor aperta mesmo a esta hora hoje esteve terrivel por aqui mas o sono já aperta um pouco

o seu poste Saudade oh! como eu sinto saudades
de tanta coisa de alguém também mas a vida nos faz umas partidas mas ter saudade é sempre um bom sinal
Este poema é lindo e me diz muito

Tenho saudades de ti
Do teu amor do teu olhar
Do teu cheiro do teu sabor
Do teu doce acariciar

Tenho saudades de ti
Sinto a falta, sabes bem
És o sol de primavera
És a noite que me tem

Saudade dói muito

que amanhã o dia seja mais fresco
Um beijo e uma boa noite