19 de março de 2009

Eu e Ela!..


Eu e Ela!..

Cobertos de folhagem, na verdura,
O teu braço ao redor do meu pescoço,
O teu fato sem ter um só destroço,
O meu braço apertando-te a cintura;

Num mimoso jardim, ó pomba mansa,
Sobre um banco de mármore assentados.
Na sombra dos arbustos, que abraçados,
Beijarão meigamente a tua trança.

Nós havemos de estar ambos unidos,
Sem gozos sensuais, sem más idéias,
Esquecendo para sempre as nossas ceias,
E a loucura dos vinhos atrevidos.

Nós teremos então sobre os joelhos
Um livro que nos diga muitas cousas
Dos mistérios que estão para além das lousas,
Onde havemos de entrar antes de velhos.

Outras vezes buscando distração,
Leremos bons romances galhofeiros,
Gozaremos assim dias inteiros,
Formando unicamente um coração.

Beatos ou apagãos, via à paxá,
Nós leremos, aceita este meu voto,
O Flos-Sanctorum místico e devoto
E o laxo Cavaleiro de Faublas...

Cesário Verde

6 comentários:

Desejos Aliciantes disse...

Poesia bonita,
apesar de que eu não aprecie muito as poesias rimadas...
De gostar da moderna, mais solta
(coisa pessoal)
Gostei da mensagem, do carinho ente eles...
boa noite pra vc
Boa Quinta!
Beijos aliciantes

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Feliz daquele que encontrar alguém tão seu encaixe. Feliz daquele que encontrar alguém que já saiba tudo da gente, sem antes mesmo de nos conhecer. Feliz daquele que encontrar alguém que esteja disposto a encarar todos os riscos de uma entrega, deixar se levar, sentir firmeza no outro e ter a certeza de que é pra sempre. O amor é isso. Porém, muita gente coloca um peso tão grande nessa palavra que não sabe expandir o significado, tão simples, desse sentimento num relacionamento.

No blog escrevemos com o coração na ponta dos dedos e é bom quando vemos que as pessoas se comovem, por presenciar um amor que deu certo, que dá muito certo.

Difícil, nessa individualidade toda em que vivemos, achar alguém pra dividir o que temos de inteiro dentro da gente. E enquanto não achamos, a solidão é uma companheira que nos maltrata, nos deixa descrente, nos acomoda, nos faz ficar medrosos.

E que essa paz de espírito, que você teve ao ler a gente, ouvindo essa música divina, não passe, que permaneça também durante o dia a dia maçante.

Tenho a certeza, com esse seu retorno, de que podemos fazer o bem pra alguém, dando esperança e incentivando a buscar o que tanto sonha; através de palavras, num blog, entre dois apaixonados, que se encontraram e se amaram na hora.

Quanto à poesia, tão bom estar junto e inventar todas as coisas pra fazer, mesmo uma coisa que já inventaram antes, só por fazer, porque estamos com quem amamos.

Até a próxima.

Jota Cê

-

Deliciosamente Atrevida disse...

E quanta paixão... amor, que entrega...

Lindo sentimento, pena ser tão difícil encontra-lo atualmente, parece que todo mundo perdeu o foco e o tempo passa sem que busquem viver um intenso e verdadeiro amor...

Se não o tens desejo que o encontre e viva-o intensamente...

Bjo Grande

maria de fátima disse...

Olá amigo que belo poema de amor.Hoje em dia é tão difícil encontrar quem nos ame a 100 por cento, com os nossos defeitos e as nossas virtudes.Felizes daqueles que têm um amor assim.Eu sou uma das sortudas, porque já o tenho.Beijinhos de amiga.

Gleiciane disse...

olá amigo,sumiu,rsrs
Passa lá depois tem award pega lá

abraços!!

Lucinha disse...

Meu anjo!! amanhã dia 20/03 dia do blogueiro e venho oferecer meu mimo a vc.. esta lado direito de meu blog... aguardo vc meu anjo.. beijinhos carinhosos