24 de julho de 2009

A Doce Canção!...



A Doce Canção

Pus-me a cantar minha pena
com uma palavra tão doce,
de maneira tão serena,
que até Deus pensou que fosse
felicidade - e não pena.

Anjos de lira dourada
debruçaram-se da altura.
Não houve, no chão, criatura
de que eu não fosse invejada,
pela minha voz tão pura.

Acordei a quem dormia,
fiz suspirarem defuntos.
Um arco íris de alegria
da minha boca se erguia
pondo o sonho e a vida juntos.

O mistério do meu canto,
Deus não soube, tu não viste.
Prodígio imenso do pranto:
-todos perdidos de encanto,
só eu morrendo de triste!

Por assim tão docemente
meu mal transformar em verso,
oxalá Deus não o aumente,
para trazer o universo
de pólo a pólo contente.

Cecília Meireles

2 comentários:

Princesa disse...

Bom dia meu amigo

Espero sempre que esteja tudo bem o tempo tem ajudado se encontra mais fresco mas o que é bom por vezes não dura e lá vem hoje um dia mais quente, temos que o suportar.

Doce canção, deveria a via ser sempre uma doce canção onde houvesse sempre paz e alegria mas infelizmente por vezes a complicamos não direi que as pessoas a complicam porque todos nós fazemos parte dela e temos sua parte de culpa uns duma maneira outros doutra mas devemos sempre tentar fazer da vida uma doce melodia, este poste est
á lindo gostei imenso.

Amigos são jóias preciosas que emitem um brilho incomparável. Temos que ter imenso cuidado para não as riscarmos, pois perdem o seu valor.
Devemos tentar mantê-los sempre com o seu brilho original guardados num cofre que é o nosso coração, aí estão livres de todas as intempéries, resguardados.
Para quem aí os guarda, pode ter a certeza que manterão todas as qualidades originais.

Um bom dia para si com tudo de bom é o que mais lhe desejo

Um beijo

Katy disse...

Ccecília Meireles, com poemas tão belos...amo lê-la!
Ótimo final de semana, querido!
Beijinhos.