9 de abril de 2009

A Proibição!..


A Proibição!..

Tem cuidado ao amar-me.
Pelo menos, lembra-te que to proibi.
Não que restaure o meu pródigo desperdício
De alento e sangue, com teus suspiros e lágrimas,
Tornando-me para ti o que foste para mim,
Mas tão grande prazer desgasta a nossa vida duma vez.
Para evitar que teu amor por minha morte seja frustrado,
Se me amas, tem cuidado ao amar-me.

Tem cuidado ao odiar-me,
E com os excessos do triunfo na vitória,
Ou tornar-me-ei o meu próprio executor,
E do ódio com igual ódio me vingarei.
Mas tu perderás a pose do conquistador,
Se eu, a tua conquista, perecer pelo teu ódio:
Então, para evitar que, reduzido a nada, eu te diminua,
Se tu me odeias, tem cuidado ao odiar-me.

Contudo, ama-me e odeia-me também.
Assim os extremos não farão o trabalho um do outro:
Ama-me, para que possa morrer do modo mais doce;
Odeia-me, pois teu amor é excessivo para mim;
Ou deixa que ambos, eles e não eu, se corrompam
Para que, vivo, eu seja teu palco e não teu triunfo.
Então, para que o teu amor, ódio, e a mim, não destruas,
Oh, deixa-me viver, mas ama-me e odeia-me também.

John Donne

5 comentários:

Maria de Fátima disse...

Olá amigo desejo-te uma santa e feliz Páscoa.Beijinhos.

Princesa disse...

Mais uma vez aqui estou eu para agradecer realmente está melhor assim já alterei e gostei
sabe tem um bonito blog, estou a gostar muito
um beijo

Cacau disse...

Nossa !!!!!! Incrível. Seu texto dá asas a sentimentos complexos, coexistentes que coabitam de forma real em minha estrutura.
Freud, já estabelecia que carregamos, por dentro d'alma, duas pulsões importantíssimas. Ele chamou de impulso de vida e impulso de morte.
Quem dera estes sentimentos fossem equações matemáticas com soluções definidas e resultados concretos, apenas de satisfação, apesar que a insatisfação geral busca de algo melhor e solução de crescimento. O importante é gerenciar a força, a qualidade, o meio e a mudança.
Adorei suas palavras e a visita no meu blog será um prazer ter um ser iluminado fazendo parte do meu contexto. Seja bem vindo.
Aguardo mais momentos de aprendizagem e reflexão.
Novamente Feliz Páscoa.
Namastê.

Mirse disse...

Boa tarde, amigo!
Amor e ódio às vezes se fundem e se confundem. Bricam no limiar dos extremos.
Belo poema!

Feliz Páscoa

Abraços

Mirse

Parapeito disse...

´...mau mesmo...pior que odiar é a indiferença...por isso se nao puder ser amor...que seja mesmo ódio :)
Um abraço ruim *