15 de março de 2009

Movimento!...


Movimento!...

Se tu és a égua de âmbar
eu sou o caminho de sangue
Se tu és o primeiro nevão
eu sou quem acende a fogueira da madrugada
Se tu és a torre da noite
eu sou o cravo ardendo em tua fronte
Se tu és a maré matutina
eu sou o grito do primeiro pássaro
Se tu és a cesta de laranjas
eu sou o punhal de sol
Se tu és o altar de pedra
eu sou a mão sacrílega
Se tu és a terra deitada
eu sou a cana verde
Se tu és o salto do vento
eu sou o fogo oculto
Se tu és a boca da água
eu sou a boca do musgo
Se tu és o bosque das nuvens
eu sou o machado que as corta
Se tu és a cidade profunda
eu sou a chuva da consagração
Se tu és a montanha amarela
eu sou os braços vermelhos do líquen
Se tu és o sol que se levanta
eu sou o caminho de sangue.

Octavio Paz

3 comentários:

Gleiciane disse...

Mil desculpas...
Que mico o meu,rs
Eu nunca tinha olhado seu perfil,sempre entrei direto no seu blog.me perdoe.
Até comentei c/meu marido do grande furo que dei.
Mas mesmo assim continuo a dizer que seus comentários são sempre maravilhosos e me deixam mto feliz.
Mais uma vez te peço perdão pela minha distração.

Abraços!!!

manuel marques disse...

A vida é o amor em movimento .

Um abraço.

Olhos de mel disse...

Obrigada pela visita! Volte sim? Adorei seu blog e a prosa poética é linda!
Boa semana! Beijos