12 de fevereiro de 2018

Mar Português




Mar Português

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas filhas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo valeu a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.



by - Fernando Pessoa

4 comentários:

Graça Pereira disse...

Voltei amigo e não te sei dizer a razão! O FB é diferente, quase não tem coração....No Blogue, fica tudo preso mas em liberdade.... aqui, há ansiedade que quase toca os limites da razão.... VOLTEI! Quando descobrir o porquê.... dir.te.ei !!
E começo com Pessoas, pois então!!
Um grande abraço.

Aqui - Ali - Acolá disse...

Olá Graça bem-vinda sejas amiga pois é sempre muito bom teres voltado a este espaço que tem sempre uma razão para se voltar a ele.
Aqui tudo é diferente, os sentimentos são outros onde a estima e a liberdade de se compreender as pessoas são diferentes.
O teu regresso ao blog é uma grande valia para quem já te conhece bem naquilo que de bom tu sempre deste a todos aqueles que te seguiam e que por certo te vão de novo seguir porque os teus textos são um bom bálsamo para os nossos olhos e nossa mente.
tudo de bom te desejo e que não pares de nos deliciar com teus belos posts.
Tudo de bom te desejo amiga.
Bjos.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Estamos aqui no outro lado do Atlântico comemorando os 270 anos do povoamento açoriano no Brasil, dado a esse mar que ora une e que já não separa, segundo Fernando. Bela postagem a sua. Parabéns! Grande abraço. Laerte.

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Graça!
O amor é sempre um deslumbre para nosso coração azul...
Sej a mito feliz e abençoada junto aos seus amados!
Bjm de paz e bem
https://espiritual-marazul.blogspot.com.br/