11 de março de 2010

Anseio!..


Anseio

Oh, quem me dera embalado
Nesse berço vaporoso,
Nuvens do céu azulado...
Onde os meus olhos repouso
Já de tanto olhar cansado!

De tanto olhar à procura
De um bem que o fosse deveras;
De uma paz, de uma ventura
Dessas venturas sinceras,
Se as pode haver sem mistura.

Mas há, sem dúvida: creio
Neste desejo entranhável!
Há-de haver um rosto, um seio
De amor e gozo inefável
Donde mesmo este amor veio!

Este amor que a vós me prende,
Nuvens do céu azulado!
E a vós, lâmpadas que acende
Depois do Sol apagado
Quem... de Quem tudo depende!

João de Deus

6 comentários:

ErikaH Azzevedo disse...

Um céu a arder de azul lá dentro.
Um sol a aquecer tudo.
Essa vontade de amar sem nem saber quem.
É desejo de vida que brota, cresce e frutifica.

Lindo poema querido.
Um beijo

Erikah

Graça Pereira disse...

Hoje, o teu olhar repousa em nuvens de céu azulado...pelo menos por aqui, pois está um dia lindo.
Os poemas de João de Deus têm sempre uma pureza na sua musicalidade e nas próprias palavras. Afinal ele é o Mestre da nossa infância.
Beijo
Graça

Maria L. Bózoli disse...

Este amor que a vós me prende,
Nuvens do céu azulado!
E a vós, lâmpadas que acende
Depois do Sol apagado
Quem... de Quem tudo depende!

Mui romantico....Amei!!!

Beijos & Flores....M@ria

angela disse...

Lindo poema de um poeta especial.
beijos

Tatiana disse...

O amor tem um poder imenso sobre nós... O queremos em todos os lugares!

Aproveite bastante o fim de semana!

Beijos com meu carinho

AFRICA EM POESIA disse...

lindo este anseio...

deixo um beijo e saudades...