10 de abril de 2009

«Jaime Neves é um símbolo de práticas anti-democráticas»!..


PCP insurge-se contra promoção de Jaime Neves a general!..


O PCP condenou, esta quarta-feira, a promoção a major-general do coronel Jaime Neves, uma das figuras mais proeminentes no contra-golpe militar que, em Novembro de 1975, neutralizou a deriva de esquerda radical que se seguiu ao 25 de Abril.

«O PCP considera a eventual promoção do Coronel Jaime Neves (¿) uma medida imprevidente e injustificada. Esta promoção com carácter excepcional (¿) abre um precedente face a outros oficiais superiores com uma folha de serviço semelhante e coloca sérias interrogações sobre as motivações adiantadas», pode ler-se em comunicado divulgado pelo partido.

Para os comunistas, a promoção do operacional do 25 de Novembro de 1975, «com a cobertura política do PS e do Governo», premeia «alguém que não teve particular desempenho» na revolução de 25 de Abril de 1974 e no Movimento das Forças Armadas (MFA) e que, sustentam, «é um símbolo de concepções e práticas profundamente retrógradas e anti-democráticas».

«Tal distinção não pode deixar de ser considerada uma afronta ao projecto libertador de Abril e aos que para ele deram uma contribuição convicta, audaz e empenhada. O PCP adoptará as medidas necessárias junto do Ministro da Defesa Nacional e do Governo, exigindo todos os esclarecimentos sobre esta situação», concluem.

Cavaco vai (ou não) promulgar promoção

A promoção de Jaime Neves, proposta ao governo pelas chefias militares, tinha já sido criticada pelo presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço, para quem a medida «vai contra todas as regras» e revela por parte dos responsáveis políticos e militares «falta de bom senso e de decoro».

A proposta aguarda promulgação pelo Presidente da República.

Jaime Alberto Gonçalves das Neves nasceu na freguesia de São Dinis, no concelho de Vila Real, em 1936, tendo entrado na Escola do Exército em 1953 e feito cinco missões de serviço em África e na Índia.

Durante o 25 de Novembro de 1975, Jaime Neves estava nos Comandos da Amadora, uma das unidades militares que pôs fim à influência da esquerda militar radical e conduziu ao fim do PREC (Processo Revolucionário Em Curso).

Em 1995, foi condecorado pelo então Presidente da República, Mário Soares, com a medalha de grande-oficial com Palma, da Ordem Militar da Torre e Espada, do valor, Lealdade e Mérito.


IOL - Notícias

1 comentário:

Joana. disse...

Obrigado amigo pela visitinha ao meu blog
eu sempre venho ao teu
e Viva o amor
Boa Pascoa com muito chocolate
ummmmmmmmm adoro
Beijão