13 de março de 2009

Noite de Amores!..


Noite de Amores!..

Mimosa noite de amores,
Mimoso leito de flores,
Mimosos, lânguidos ais!
Vergôntea débil ainda,
Tremia! Lua tão linda,
Lembra-me ainda... Jamais!

Aquela dália mimosa,
Aquele botão de rosa
Dos lábios dela... Senhor!
Murchavam; mas, como a Lua,
Passava a nuvem: «Sou tua»!
Reverdeciam de amor!

E aquela estátua de neve
Como é que o fogo conteve
Que não a vi descoalhar?
Ondas de fogo, uma a uma,
Naquele peito de espuma
Eram as ondas do mar!

Como os seus olhos me olhavam,
Como nos meus se apagavam,
E se acendiam depois!
Como é que ali confundidas
Se não trocaram as vidas
E os corações de nós dois!

Mimosa noite de amores,
Mimoso leito deflores,
Mimosos, lânguidos ais!
Vergôntea débil ainda,
Tremia! Lua tão linda,
Lembra-me ainda... Jamais!

João de Deus

4 comentários:

A Lobba! disse...

Agradeço a visita e o comentário carinhoso!
Visitarei cá este canto tb!
Lambiddas da lobba!!

manzas disse...

Provei o fel sabor de uma outra vida
Nas ruas desnudadas, lotes incertos do sem andar…
Caminhei pelos desertos secos de alma perdida
Entrando pela porta em que ninguém quer entrar

Passando para dizer,
Que me apraz aqui estar…
Que nesta sexta-feira treze,
Aconteça o que acontecer
Um bom fim-de-semana irá ser
E que o amor e paz possa reinar!

O eterno abraço…

-MANZAS-

Cadinho RoCo disse...

De situações vividas brotam versos que por vezes vão à lua e não satisfeitos ganham o céu da inspiração que do jamais parece buscar a eternidade.
Cadinho RoCo

Agostinho Santos disse...

Este é um bonito poema de João de Deus.

Foi musicado em 1918 pelo compositor Espanhol a viver no Porto.
Pedro Blanco (1883-1919).
Ops. 13 . "Dos melodias Portuguesas".
- Anjo da Guarda
- Noite de Amores

http://pedro-blanco.blogspot.com/