17 de março de 2009

Cara Minha Inimiga!...


Cara Minha Inimiga!...

Cara minha inimiga, em cuja mão
Pôs meus contentamentos a ventura,
Faltou-te a ti na terra sepultura,
Por que me falte a mim consolação.

Eternamente as águas lograrão
A tua peregrina formosura:
Mas enquanto me a mim a vida dura,
Sempre viva em minha alma te acharão.

E, se meus rudos versos podem tanto,
Que possam prometer-te longa história
Daquele amor tão puro e verdadeiro,

Celebrada serás sempre em meu canto:
Porque, enquanto no mundo houver memória,
Será a minha escritura o teu letreiro.

Luís Vaz de Camões

3 comentários:

Izinha disse...

Ótima escolha, esse soneto de Camões e a frase "enquanto no mundo houver memória,
Será a minha escritura o teu letreiro"...sem dúvida nunca a esquecerá.

bjos com carinho!

vandinha disse...

"Se você sente que tudo perdeu seu sentido,
sempre haverá um te quero, sempre haverá um amigo.
Um amigo é uma pessoa com quem se pode pensar em voz alta." |beijo|vandinha

{Nanda}_A disse...

Ahhh Camoes...
escolha sempre certa...
retrato da alma humana...
adoro teus comentarios e tava devendo uma visita...

bjs

P.S.: tem selo e mini meme no blog... se quiser, pegue-os