21 de fevereiro de 2009

Adivinhe se souber!...


Adivinhe se souber!..

Todas as damas me querem,
dão-me à cabeça valor,
sem ter dentes firo às vezes
sem montar sou picador.
Aquele que de mim precisa,
se ao pé de si não me vê,
vai buscar notícias minhas
em carta que se não lê.
Quase todas as criadas
me encontram sendo perdido,
sou mil vezes emprestado
e nunca restituído.

Somos quinhentos soldados
de nossas armas compostos,
todos cobertos e armados
em fileiras ordenados,
e num campo branco postos.
Não dá para pelejar,
porque não somos temidos,
dantes de damas queridos,
que nos põem num alto lugar,
onde andamos escondidos.

Ditado popular

4 comentários:

Cidadão abt disse...

No tempo do Einstein...
não haveria um pente?

Aqui - Ali - Acolá disse...

Olá amigo cidadão benvindo:
Pentes (que eu me lembre sempre houve), agora o estilo de penteado é que está ao gosto de cada um.
E a adivinha onde é que está a resposta?
O Einstein está a indicar para pensarem e responder, agora veremos se o sabem indicar.

Bom Domingo mas cuidado com a rampa de lançamento de mísseis, pois não vá vc embarcar num até ao espaço em busca de novas descobertas..

Parapeito disse...

:))eu sei :P
é o alfinete...

a idd tem destas coisas :))

Aqui - Ali - Acolá disse...

Ok Parapeito correcto (o alfinete), as voltas que ele dá e por vezes se esconde de tal forma que para o encontrar-mos corremos a casa toda e ele está onde não se espera.

bjo..